Pesquisa personalizada

domingo, 14 de dezembro de 2008

Caminhos



Caminhos
Delasnieve Daspet


Parti em silêncio
- O mundo tumultuado nem percebeu -
Ninguém me procurou,
Ninguém percebeu a partida!

No sol que se põe,
Na brisa leve de todas as tardes,
Nuvem carregadas caem
Formam sulcos em minha face já pálida,
Lágrimas de saudades,
Salgam lábio ressequidos pelo tempo...

Andei por tantos caminhos,
Tantos desvios,
Desatinos....

Já se faz tarde e percebo
Que ainda existem estradas
A serem recuperadas,
Outras a serem abertas,
Algumas a serem construídas...

Recuperar o tempo perdido,
Banalidades não levaram a lugar algum...
Preciso abrir caminhos ao diálogo.

Nas estradas que se abrem,
Nas trilhas que me surgem,
Retornar no abrigo de tua morada.
DD_Campo Grande-MS_07-12-08

Um comentário:

Marcelo Torca disse...

Parabéns pela bela poesia!